Especialidade de Equinodermos Respondida

| |

14 de novembro de 2018

Especialidade de Equinodermos Respondida


Especialidade de Equinodermos, se você não tem, vem conferir e não esquece de compartilhar com seus amigos!

Especialidade de Equinodermos

1. Em qual ambiente podemos encontrar os equinodermos?

R: Os equinodermos são de vida livre, ou seja, vivem soltos na água do mar, com exceção do lírio-do-mar, cuja maioria vive fixada a rochas no fundo do mar. As estrelas-do-mar são facilmente encontradas, deslocando-se no fundo do oceano, assim como os ouriços-do-mar. Por vezes alguns ouriços são encontrados próximos a rochas, onde cavam buracos que servirão de abrigo.

2. O que significa a palavra Echinodermata, nome que caracteriza o Filo dos equinodermos?

R: Chinos = espinho; dermatos = pele, ou seja, os equinodermos são animais que possuem o corpo todo recoberto por espinhos. Estes, além de terem função de defesa, também atuam na locomoção do animal.

3. Citar 4 características pertencentes ao filo Echinodermata.

R: Os equinodermos são triblásticos, celomados e deuterostômios. São animais de vida livre e isolados, poucas espécies vivem fixas a um substrato.

4. Qual tipo de simetria os equinodermos possuem? O que isso significa?

R: Durante a fase larval apresentam simetria bilateral e na fase adulta, a simetria é radial.

A simetria radial é aquela em que o corpo do animal pode ser dividido em vários planos dispostos em torno de um eixo longitudinal. Animais com esse tipo de simetria recebem o nome de radiados. Em face dessa característica, não podemos afirmar que eles possuem região dorsal e ventral, lado esquerdo e direito ou cabeça e cauda.

A simetria bilateral é aquela em que o animal apresenta duas partes semelhantes, sendo dividido apenas por um único plano de simetria, sendo que o lado esquerdo e o direito são a imagem especular um do outro.

5. Citar as principais características e exemplos das 5 classes dos equinodermos:

a. Asteroidea.
O representante típico do grupo é a estrela-do-mar possui cinco braços dispostos como raios. Algumas chegam a ter quarenta braços.

Na parte em contato com o substrato, os braços são formados por duas fileiras de pés ambulacrários, que permitem a movimentação e fixação.

Na extremidade de cada braço se encontram olhos rudimentares, que permitem localizar suas presas, como anelídeos, crustáceos e ostras.

As estrelas do mar podem realizar autotomia, ou seja, a recuperação de um braço perdido. Além de que a regeneração de um braço cortado pode formar uma nova estrela do mar.

b. Echinoidea.
Um representante desse grupo é o ouriço do mar ou pindá. Ele apresenta corpo recoberto por espinhos venenosos, móveis, que são usados para seu deslocamento.

Junto à boca, ele possui uma armação de cinco dentes chamada lanterna de Aristóteles. Com isso, ele raspa as rochas em busca de algas, formando buracos onde esses animais se alojam.

Apesar dos espinhos pode ser atacado por diversos predadores como peixes, estrela do mar e caranguejos.

c. Ophiuroidea.
Um exemplo é a serpente do mar que possui um disco central do qual partem cinco braços dotados de movimentos ondulantes, que facilitam o deslocamento.

A serpente do mar tem a boca na parte inferior, que fica em contato com o substrato, enquanto o ânus se localiza na face oposta.

Seu alimento é constituído por moluscos, pequenos crustáceos e detritos sedimentares do fundo do mar.

d. Holothuroidea.
O pepino do mar ou holotúria tem o corpo cilíndrico, dotado de minúsculas placas não unidas, que lhe dão uma consistência menos rígida.

A maioria tem entre 5 e 30 cm, com alguns exemplares podendo chegar a dois metros de comprimento.

Quando atacado, pode eliminar parte de suas vísceras, como o intestino e as gônadas. O predador distraído permite a fuga do pepino do mar, que depois de um tempo tem suas partes regeneradas.

e. Crinoidea.
Um representante do grupo do crinoides é o lírio do mar. Ele possui uma base presa a um substrato, de onde saem cinco braços ramificados que dão ao animal o aspecto de planta.

Utiliza como alimento os detritos que permanentemente caem em seus braços, que são cobertos por prolongamentos capazes de levar as partículas até a sua boca.

6. O que fazer em caso de algum tipo de acidente com ouriços?

R: Remova os espinhos, de preferência com uma pinça. Se não conseguir fazê-lo sozinho, peça ajuda para alguém. Se estiver difícil, vá ao hospital. Tenha certeza de que todos os espinhos foram removidos, para evitar o contato mais prolongado com o veneno.

O veneno é pouco resistente a temperaturas altas. Por isso, para atenuar a dor, mergulhe o membro afetado em água limpa bem quente, por pelo menos 30-60 minutos.

Depois da remoção dos espinhos e da atenuação da dor, lave a lesão com água e sabão para evitar infecção.

Procure orientação médica para avaliar a necessidade de antibióticos e/ou de analgésicos. Certifique-se que sua vacina antitetânica está em dia.

Em caso de sintomas como dificuldade para respirar, taquicardia, náuseas ou vômitos, vá ao Pronto Socorro

7. Em aula prática, identificar, esquematizar e explicar a função das seguintes estruturas:

a. Em estrelas do mar:
Pódios ou pés ambulacrários.
Placa madrepórica.
Boca.
Ânus.

partes-de-estrelas-do-mar

b. Em ouriços do mar:
Lanterna de Aristóteles.
Espinhos.
Boca.
Endoesqueleto.

partes-de-ouri-os-do-mar

8. Fazer uma coleção contendo 20 imagens ou figuras de espécies diferentes, contendo na identificação a divisão nas classes corretas.

20-imagens-equinodermos

9. Como as estrelas do mar fazem para se alimentar?

R: As estrelas-do-mar se alimentam de crustáceos, ostras e lesmas, usando as patas tubulares para despedaçar a carapaça de presas maiores. Certas estrelas-do-mar levam os alimentos até a boca, que fica na parte inferior do corpo. Outras colocam o saco digestivo para fora para apanhar a comida.

10. Realizar uma pesquisa a respeito dos ouriços do mar e o veneno que algumas espécies possuem.

R: Nas praias do Japão, o ouriço-do-mar mais venenoso é belo e mortal. Seu nome científico é Toxopneustes Pileolus ou ouriço da flor.

Esse ouriço é encontrado no oceano Pacífico Indo-Ocidental e causa muitas vítimas todos os anos devido a sua toxina extremamente potente. A dor é tão intensa e a maioria das mortes acontece por afogamento.

A neurotoxina Contractin A causará os espasmos musculares e a peditoxin causa efeitos mais devastadores que podem levar ao óbito, como choque anafilático e convulsões.

Quanto maior, mais terá veneno e será preciso apenas um pequeno contato para o ouriço-flor injetar seu veneno.

Além dos espinhos, o ouriço-flor é coberto por pinças que mordem a carne e injetam veneno em suas presas. Então, mesmo sem tocar nos espinhos, as pedicelárias (presas) podem se mover e atacar.

Além disso, esse ouriço-do-mar possui a capacidade de se camuflar aumentando o número de acidentes


Especialidade enviada pelo João Vieira, obrigada! 
Se você também quiser enviar alguma, o e-mail é araujogabrielle@hotmail.com 

--  --

Gostou da especialidade, te ajudou ou tem alguma dúvida? Deixe nos comentários.

2 comentários: