Especialidade de Violão Respondida

| |

28 de março de 2018

Especialidade de Violão Respondida


Especialidade de violão, se você ainda não tem, vem conferir, mas não esquece de compartilhar com seus amigos!

Especialidade de Violão

1. Pesquisar sobre a história do violão e como ele chegou ao seu país?

R: História do violão: ''A história do violão nos remete há quase 2.000 A.C. Os atuais violonistas aceitam atualmente duas teorias:

- O violão é um instrumento derivado do alaúde árabe, levado pelos muçulmanos para a península Ibérica e adaptando-se muito bem as atividades da corte;

- O violão derivou-se da “Cítara romana”, tendo seu uso expandindo com a dominação do império romano.''


Como chegou no Brasil: ''A viola, instrumento de cinco cordas duplas popularíssima em Portugal, foi introduzida no Brasil por Jesuítas portugueses, que a utilizavam na catequese. Já no século XIX, começa a confusão entre a viola e o violão principalmente quando a primeira começa a utilizar a mesma afinação do violão. Com o tempo a viola tornou-se um instrumento característico do interior do país e o violão tornou-se caracteristicamente urbano, como acompanhamento de modinhas.''

2. Saber as diferenças entre melodia, harmonia e ritmo.

Melodia - A melodia é a alma da música, uma sequência lógica de sons que constitui um formato musical, e é percebida como unidade pela mente humana. A melodia de uma música pode ser reproduzida diferente da harmonia, pois independe do conhecimento sobre acordes ou teoria musical de quem reproduz. De primeira mão, uma pessoa comum não poderia tocar um solo de guitarra do mestre Stevie Ray Vaughan, mas com certeza poderia assobiar a canção, justamente por reconhecer a melodia da música.

Harmonia - Como o próprio nome diz, harmonia está relacionada à concordância e correspondência dentro de uma música ou qualquer outro contexto. Musicalmente falando, a harmonia é um dos principais responsáveis por despertar emoções no ouvinte, uma combinação de acordes independentes e com funções específicas que são organizados conforme o objetivo de determinada música. Músicas de filmes de suspense que te prendem na tela, ou aquela moda de viola que traz lembranças; isso é tudo culpa da harmonia. A harmonia nada mais é que a sobreposição de acordes simultâneos que formam uma composição musical e causam uma sensação sonora nos ouvintes.

A harmonia é o pilar principal para compor a base de uma música, e desta forma possibilita ao músico variar entre diferentes sonoridades. Uma música pode soar mais triste e melancólica ou alegre e tranquilizante graças à harmonia da combinação dos acordes presentes na música.

Ritmo - O ritmo determina a sucessão de tempos dentro da música, sequenciando os sons temporalmente e possibilitando o progresso da harmonia e melodia. O ritmo nos diz como devemos tocar, de acordo com a marcação de tempo e andamento que o ritmo determina dentro de cada música. O ritmo está ligado não apenas à música, mas também a outras expressões artísticas, como poesia e literatura.

3. Diferenciar 3 tipos de violão, conforme cada grupo abaixo:

a. Acústicos.


b. Elétricos.






c. Mais de 6 cordas.





4. Conhecer as 3 divisões do violão e identificar 15 diferentes partes, explicando a função de cada uma.


1 - Cabeça ou mão.


É a parte onde ficam as tarrachas - que prendem as cordas. O formato da cabeça varia de modelo para modelo ou de luthier para luthier (construtor de instrumentos).

2 - Pestana ou capotraste.


A pestana é uma pequena barra de osso, plástico ou madrepérola, fixada entre o início do braço e a cabeça. Possui um pequeno sulco entalhado para a passagem de cada corda. Isso permite o posicionamento correto das cordas. A pestana serve para apoiar as cordas na extremidade do braço. É o ponto de origem do comprimento das cordas e muitos o consideram como o traste zero.

3 - Tarracha.


A tarracha é uma peça que tem um pequeno mecânismo composto por engrenagens. Ela serve para prender as cordas na mão do violão e esse pequeno mecanismo possibilita que as cordas sejam esticadas ou afrouxadas com facilidade. É com ela (esticando ou soltando) que afinamos as cordas do violão.

4 - Trastes.


Os trastes são pequenas barras (geralmente alpaca ou ligas de níquel) montadas sobre a escala e que definem os pontos exatos em que a corda deve ser dividida para obter cada uma das notas. Quando o músico encosta o dedo sobre uma corda ela pousa sobre a escala e fica apoiada sobre o traste. O comprimento vibrante da corda passa a ser aquele entre o traste e o rastilho.

5 - Escala.


Feita de uma madeira diferente do resto do braço, como ébano, a escala é a parte do instrumento onde as cordas são apoiadas quando o músico quer dividir a corda. É sobre a escala que os trastes são montados.

6 - Mosaico ou Roseta.


É uma peça artística colocada sobre o tampo, ao redor da boca do violão. Serve somente para decorar o violão.

7 - Braço.


O braço é a parte onde é colada a escala do violão. Note bem que a cor do braço é diferente da cor da escala. Essa diferença se dá por causa das madeiras diferentes. O braço pode ser feito de mogno ou de cedro.

8 - Tróculo.


O tróculo é a extremidade mais larga do braço, usada para fixá-lo ao corpo e dar rigidez mecânica à montagem. Em geral o tróculo é entalhado na mesma peça do braço, mas também pode ser uma parte separada e colada ao braço e ao corpo.

9 - Corpo.


Apesar de parecer estranho, podemos dizer que tudo que não é o braço, é corpo.

12 - Cavalete.


Cavalete é uma peça que fica colada no tampo do violão. O cavalete pode ter 6 ou 12 furos para a fixação das cordas. Além de prender as cordas, no cavalete também é colocado o rastilho. Ele pode ser feito de Jacarandá da Bahia, Pau-ferro, Caviuna, Jacarandá Indiano, Ébano.

14 - Fundo.


Construído da mesma madeira que as faixas, o fundo também é uma lâmina fina de madeira, cortada para preencher exatamente o contorno definido pelas faixas. Na verdade, não é constituído de uma única chapa, mas de duas partes simétricas fixadas no meio a um estrutura que se estende longitudinalmente ao corpo. O resultado é um fundo que não é plano, mas levemente curvo em direção ao exterior. Essa montagem permite a dilatação e faz com que alterações da madeira decorrentes de variações de temperatura ou umidade sejam absorvidas sem danos às lâminas.

15 - Tampo.


O tampo é a madeira responsável pela "cara" do som do violão. É a parte da frente do violão. É constituído por uma única peça fina. É feito de pinho ou de cedro.

16 - Lateral ou faixas.


Feitas de madeiras resistentes à tração. A madeira preferida para esta parte do corpo é o jacarandá da Bahia. Como esta árvore está em risco de extinção, apenas luthiers que possuem estoques antigos utilizam essa madeira. Uma alternativa é o jacarandá da Índia. Também pode ser usado o mogno ou algumas outras madeiras como o pau-ferro. As finas lâminas, de no máximo 3 mm de espessura e com cerca de 3 a 5 cm de largura, são molhadas e moldadas no formato desejado do instrumento (normalmente no formato aproximado de um 8) com a ajuda de moldes de madeira e grampos. Após alguns dias as faixas adquirem a forma definitivamente.

17 - Boca.


É por onde sai o som do violão.

18 - Cordas.


No violão clássico tradicional, as cordas são de nylon.

19 - Rastilho.


O rastilho é feito de osso. Ele fica preso em uma fenda que há no cavalete, e é responsável pelo apoio das cordas. Ele também regula a altura da ação das cordas.

5. Qual a postura correta para a prática do violão? Qual a importância de manter essa postura?

Veja o vídeo abaixo e confira esse link aqui.

6. Saber os nomes dos dedos, cordas e posição das mãos.

nome-dos-dedos

As cordas são contadas de baixo para cima, sendo assim.


Mi [Mizinha]

Sol
Mi [Mizão]

Para saber a posição das mãos, acesse esse link. [clique aqui]

7. O que são cifras e como são construídas? Escrever, de memória, uma lista contendo todos os acordes maiores e menores e suas determinadas cifras.

R1: Cifra é um sistema de notação musical usado para indicar, por meio de símbolos gráficos ou letras, os acordes a serem executados por um instrumento musical.


R2: Cifras ou cifrado são representações das notas musicais que, tocadas juntas, fazem ou compõem um acorde.

acordes-maiores-violao


acordes-menores-viol-o



8. Os que são bemol e sustenido? Qual a diferença entre eles e como são representados em cifra?

R1: O sustenido é um sinal gráfico usado para fazer a modificação crescente da frequência de uma nota ou acorde em 1 semitom, ou seja, indica que a nota deve subir meio tom.


R2: Bemol é um substantivo masculino do contexto da música e consiste em um sinal gráfico que indica a redução de um semitom (meio tom) da nota que precede.

R3: A diferença é que um é usado para indicar que desça meio tom e o outro indica para subir meio tom.

R4: Sustenido é representado por # e Bemol por b.

9. Explicar o que são acordes. Demonstrar habilidade em executar de memória os acordes maiores e menores.

[Tem a tabela no item 7 para ajudar a treinar, boa sorte!]

R: A maioria das bibliografias define “acorde” como a união de três ou mais notas tocadas simultaneamente. Há inúmeras combinações possíveis de se fazer com notas, resultando nos mais diversos acordes. Então, para facilitar a vida dos músicos, cada acorde recebe um nome.

Esse nome é baseado nas notas fundamentais que conhecemos (dó, ré, mi, fá, sol, lá, si).

10. Definir a diferença entre cordas de náilon e aço e explicar a sua preferência por uma delas. [Essa resposta desse ser sua.]

R: A diferença está no tipo de resposta sonora e na tocabilidade. Cordas de nylon têm um som mais macio e suave, enquanto que cordas de aço têm um som mais brilhante. Cordas de aço também produzem mais volume do que cordas de nylon.


Com relação à tocabilidade, cordas de nylon são mais macias e preferidas por quem está aprendendo, pois machucam menos os dedos. A forma de tocar (com a mão direita) também costuma ser diferente: cordas de nylon normalmente são tocadas mais com os dedos, enquanto que com cordas de aço usa-se a palheta com mais frequência. Isso está associado também com o estilo de música: cordas de nylon são associadas às técnicas da música erudita e MPB, enquanto que cordas de aço são mais usadas na música popular, folk, e rock.

11. Executar uma música utilizando uma técnica de batida e outra utilizando um dedilhado.


Item prático.

Caso não saiba como fazer, assista os vídeos abaixo.

12. Selecionar 3 músicas adventistas de cifras simples e tocá-las em uma reunião oficial do Clube ou unidade.

Algumas sugestões abaixo. [Nomes clicáveis]

4. Me ama.

Sites que tirei as respostas

-- --

Qualquer dúvida, deixe nos comentários.

2 comentários: